Finanças

Por que investir em consultoria contábil e tributária para indústrias?

Escrito por Grupo Fatos

Empresas lidam diariamente com contabilidade e tributação. Por isso, elas correm constantemente o risco de serem multadas por erros, inconsistências e omissões. Assim, a consultoria contábil e tributária visa planejar o negócio internamente para lidar com obrigações e procedimentos sem erros e da melhor forma possível.

Com o auxílio da consultoria tributária uma indústria fica mais segura para, por exemplo, aproveitar créditos de impostos e entregar declarações do Sped. Já pela contábil, a empresa garante que sua escrituração seja feita conforme mandam as regras contábeis e as especificidades da área de atuação produtiva da organização.

Se mesmo assim você ainda tem dúvida quanto à necessidade de uma consultoria para sua indústria, leia o post e veja como ela pode ser benéfica para sua empresa!

Elaboração de planejamento tributário

Uma boa estratégia de planejamento tributário serve para a empresa reduzir impostos a pagar e o número de obrigações acessórias a entregar. Além disso, melhora a estrutura organizacional da empresa para a lida com processos tributários e contábeis.

Exclusivamente por meios legais, o planejamento passa por ações como:

  • simulação de impostos em outros regimes tributários;
  • revisão de tributos pagos para identificação de possíveis restituições;
  • revisão das obrigações acessórias entregues;
  • análise de créditos fiscais e da possibilidade de aproveitar mais deles;
  • revisão de tarefas e de procedimentos internos necessários ao cumprimentos das diversas obrigações impostas pelo Fisco.

Então, a partir das citadas e de outras práticas uma consultoria contábil e tributária consegue obter informações para embasar mudanças e correções a serem feitas nas empresas.

Na simulação feita pela projeção de faturamento, das despesas e dos créditos fiscais do ano seguinte, por exemplo, uma indústria pode chegar à conclusão de que o melhor regime para continuação das atividades é o Lucro Real, caso não seja esse o enquadramento presente.

Para o exemplo, essa pode ser a conclusão porque as atividades industriais envolvem muitos custos e, dependendo do ramo da empresa, a margem de lucro pode ser baixa. Logo, muitas vezes é melhor optar pelo Lucro Real porque os seus impostos federais incidem sobre o Lucro Líquido, diferentemente do que ocorre nos demais regimes.

Posteriormente, na efetivação de uma troca de regime, a consultoria se faz necessária para que o empreendimento consiga adequar-se rápida e corretamente aos novos procedimentos e às leis que tem de seguir.

Auxílio em planejamento de produção

A parte operacional da produção normalmente é a área de uma indústria na qual ela é expert. Por outro lado, existem os aspectos relacionados à contabilidade e aos tributos resultantes dos processos operacionais, desde a compra de insumos até a expedição do que é produzido ou transformado.

Muitas vezes, esse lado das operações pode ser muito complexo para o gestor. Um desses aspectos é uma obrigação relativamente nova, o Bloco K da Escrituração Fiscal Digital (EFD). Nele, o negócio deve informar os dados referentes à movimentação de produtos e insumos dos processos produtivos.

Para entregar a EFD com o Bloco K corretamente preenchido não basta apenas atentar-se para o fato de que dados da produção têm de ser informados. É preciso planejar o processo produtivo para sua adequação à obrigação. Por exemplo, algumas ações necessárias são:

  • alinhar sem margem de erro alguma os números de compras, estoques, inventários e saídas de produtos feitos ou transformados;
  • alinhar o Bloco K ao H da EFD, pois o H tem a ver com o inventário físico mantido pela indústria — que deve estar alinhado às movimentações de produtos insumos do Bloco K;
  • entender em quais situações específicas, como a manufatura encomendada a terceiros, a empresa deve escriturar processos produtivos mesmo não feitos internamente;
  • entender como escriturar sobras de produção.

Os aspectos citados são apenas alguns dos vários do Bloco K que precisam de muita atenção e exigem que o processo produtivo seja planejado conforme as regras do Fisco.

Agora, saindo do assunto Bloco K, podemos citar, ainda, a escrituração contábil e os créditos fiscais em compras de insumos e materiais entre vários critérios legais resultantes da produção. Assim como a EFD, eles exigem planejamento e podem gerar mudanças no planejamento produtivo.

Portanto, uma consultoria contábil e tributária é sempre bem-vinda para que a indústria evite pagamentos a mais de impostos, retrabalho e até multas que podem ser geradas indiretamente pelas operações.

Melhoria da gestão de compras

Comprar materiais, insumos, máquinas ou qualquer item necessário às operações não se trata de fazer pedidos e pagar por eles. É preciso estar atento às tarefas que surgem das compras pois elas são fatos geradores de impostos e demais dados de interesse do Fisco.

Para receber insumos, por exemplo, a indústria pode escolher pelas modalidades de frete CIF e FOB. Na primeira, quem paga pelo transporte e se responsabiliza por ele é o fornecedor  a origem da transação, que normalmente repassa os valores na sua venda.

Pela modalidade FOB, é a indústria compradora que paga o custo do frete, mas, por isso, tem a permissão de utilizar créditos fiscais de ICMS da prestação de serviços de transporte intermunicipal ou interestadual.

Para ter direito aos créditos, o valor do conhecimento de frete precisa ser lançado na escrituração fiscal e não na contabilidade como uma simples despesa.

Logo, para a escolha da modalidade de frete — apenas um dos aspectos das transações de compras — é necessário estar atento a detalhes diversos e simular números para fazer a melhor opção.

Para essa responsabilidade e para outras, a consultoria é uma aliada que qualifica o setor de compras da empresa auxiliando nos melhores procedimentos e nas interpretações dos fatos geradores em entradas e saídas.

Controle de riscos fiscais

Toda empresa existente está sujeita a riscos fiscais, como multas e processos, pelo fato de ter de arcar com obrigações impostas pelas leis. Qualquer erro ou inconsistência no atendimento a elas gera penalizações.

Assim, é fundamental tê-los controlados e distantes do negócio com estratégias como planejamento tributário e planejamento de produção.

Eliminar as chances de que os riscos fiscais sejam materializados significa também anular as chances de a indústria ser multada, ter retrabalho em entrega de declarações e gastar tempo e dinheiro de outras maneiras por desrespeitar as leis.

Percebeu que a consultoria contábil e tributária é, além de necessária, uma forte aliada do funcionamento da sua indústria? Então, entre em contato conosco e saiba como nós podemos ajudá-lo.

Sobre o autor

Grupo Fatos

Com mais de 20 anos de mercado e um atendimento de excelência, nos tornamos um Centro de Apoio ao Empreendedor, estruturado em unidades de negócios de diferentes áreas (Contabilidade, Consultoria, TI, Financeiro e RH), com soluções corporativas que permitem potencializar o futuro de nossos clientes.

Deixar comentário.

Share This