Crescimento

Planejamento estratégico: saiba como fazê-lo

Escrito por Grupo Fatos

Em muitas organizações, o planejamento estratégico costuma assustar muitos gestores, pois passa a ideia de ser algo difícil. Na verdade, ele começa a gerar muita dor de cabeça quando é mal elaborado.

Basicamente, o segredo de um bom planejamento consiste na capacidade de conceber o futuro da empresa em médio e longo prazo. Na prática, o gestor precisa criar um plano bem estruturado. Com base na missão e visão da organização, ele deve estabelecer uma planificação que contemple metas e objetivos — e uma maneira de alcançá-los.

Todo esse processo pode ser facilitado se estiver disposto em etapas bem definidas. Continue a leitura e descubra como fazer um planejamento estratégico infalível!

O que é e para que serve um planejamento estratégico?

Antes de qualquer coisa, convém explicar o que, afinal, é um planejamento estratégico. O ato de planejar consiste em programar uma série de ações com o intuito de atingir metas e, assim, conquistar um ou mais objetivos.

Como se vê, trata-se de algo que pode ser aplicado em qualquer setor — seja da sua vida pessoal ou profissional. Quando não há um planejamento, o indivíduo ou, no caso, a empresa, vive em constante pressão. Nessas situações, ela é consequência do imediatismo, pois os problemas são resolvidos conforme surgem.

A tomada de decisão contingencial é uma realidade para a qual toda empresa deve estar preparada. Contudo, sem um plano estratégico o futuro da organização fica totalmente comprometido. Ou seja, sem uma visão panorâmica do que virá, a evolução do negócio tende a ficar estagnada. E há uma linha muito tênue entre essa estagnação e o fracasso.

Portanto, sua empresa precisa de uma elaboração estratégica para aprimorar a fluidez do negócio. Mesmo que consiga prosperar, a falta de um plano torna essa evolução bem mais lenta.

Para ter sucesso, o planejamento estratégico deve seguir algumas etapas. Acompanhe cada uma delas na sequência!

Definição do propósito da empresa

O primeiro ponto a ser observado em um planejamento estratégico é a razão de ser da empresa. Cabe ao gestor saber o porquê de a organização ter sido criada, qual seu objetivo almejado e o que ela pretende fazer para chegar lá.

Processo ignorado por muitos empresários, esse passo é essencial para que as metas fiquem bem nítidas para todos os colaboradores da organização. Essa clareza é imprescindível para que os funcionários entendam o que precisa ser feito.

De um modo geral, a dificuldade de visualização de um propósito organizacional é bem nociva e prejudica muito o planejamento estratégico.

Esse propósito é acompanhado de perto pela definição da missão e visão organizacionais, além dos valores defendidos pela empresa:

  • missão: diretamente ligada à essência do negócio e não ao mero produto ou serviço;
  • visão: ambição da empresa em um período específico (5 ou 10 anos, por exemplo);
  • valores: devem ser aqueles valores que realmente levarão a empresa ao cumprimento das metas e objetivos. Os valores devem nortear o cotidiano de todas as ações da organização e não simples palavras de efeito estampadas nas paredes.

Definição de metas e objetivos

Cada conjunto de metas precisa conduzir a um objetivo específico, que deve ser alcançado após um período mais longo. Metas bem-sucedidas dependem de planos de ação desenvolvidos com qualidade.

Para facilitar a determinação de metas, vale a pena utilizar alguns mecanismos eficazes. Um deles é o chamado SMART, que nada mais é do que um acrônimo (cada letra representa uma palavra) para:

  • específico: o termo dispensa apresentações, pois está vinculado à própria especificidade de cada meta;
  • mensurável: cada meta deve gerar indicadores. Com isso, será possível mensurar os resultados alcançados;
  • atingível: uma meta atingível significa que ela pode, de fato, ser conquistada pela empresa. Metas inalcançáveis e fora da realidade da organização devem ser adaptadas ou descartadas;
  • relevante: o nível de relevância das metas também merecem destaque. Afinal, espera-se que todas elas proporcionem algum ganho para a empresa, não apenas financeiro, nem apenas números mensuráveis;
  • tempo limite: as metas devem ser atingidas dentro de um intervalo pré-determinado e não a qualquer momento.

Apresentação do planejamento para a empresa

Como dito anteriormente, o comprometimento de todos os colaboradores da empresa (incluindo supervisores, gerentes e diretores) é vital para que o planejamento estratégico surta o efeito desejado.

Essa apresentação deve, ao menos, conter os seguintes pontos:

  • metas e objetivos;
  • planos de ação;
  • mapeamento das pessoas e dos processos desenvolvidos por elas.

Ao compartilhar essas informações, a empresa transmite o seguinte recado: todos vocês são importantes para que tudo isso saia do papel. Ampliando, assim, o sentimento de autoconfiança e valorização de todas as equipes.

Vale lembrar que os funcionários são o maior bem de qualquer organização e geram uma energia que precisa ser constantemente renovada. Para isso, os colaboradores devem estar sempre motivados.

Plano de execução e monitoramento

Uma vez que todos os pilares do planejamento estratégico estejam alinhados, chega a hora de colocá-lo em prática como um todo.

Existem diversas maneiras de se fazer isso. Um método bem prático consiste na realização de perguntas voltadas para cada tarefa. O processo é muito simples e funciona como um checklist.

Antes de iniciar as tarefas, basta determinar:

  • o que realmente será feito;
  • por qual razão será feito;
  • quais serão as ferramentas usadas para a realização;
  • quais serão as pessoas responsáveis pela execução;
  • qual é o teto estabelecido para conclusão;
  • em quais locais a tarefa será efetuada;
  • qual é o custo atrelado a cada tarefa.

Simultaneamente, os gestores sempre devem monitorar o andamento de todos os processos.

Revisão do plano estratégico

Por fim, temos a etapa de revisão. Ela deve existir por uma razão muito simples: por melhor e mais detalhado que um planejamento estratégico seja, dificilmente ele ficará livre de ajustes.

Esses retoques garantem que a empresa resolva imprevistos, ultrapasse obstáculos e possa seguir em busca de suas metas e objetivos.

Agora que você conheceu as características de um planejamento estratégico eficaz, aproveite para baixar nosso e-book, um guia completo sobre planejamento financeiro para PMEs! Com ele, você saberá como elaborar um delineamento realista, prático e que atenda as necessidades do seu negócio!

Sobre o autor

Grupo Fatos

Com mais de 25 anos de mercado e um atendimento de excelência, nos tornamos um Centro de Apoio ao Empreendedor, estruturado em unidades de negócios de diferentes áreas (Contabilidade, Consultoria, TI, Financeiro e RH), com soluções corporativas que permitem potencializar o futuro de nossos clientes.

Deixar comentário.

Share This