Recursos Humanos

Entenda o papel da liderança dentro de uma empresa

Escrito por Grupo Fatos

Além de ser visto como uma referência, o líder de uma organização é o grande responsável por promover a coesão necessária entre os membros da equipe. Por isso, a liderança em uma empresa é um fator extremamente decisivo para a determinação do fracasso ou do sucesso organizacional.

Cabe ao líder tomar todos os cuidados necessários para manter sua equipe bem distante do caos, deixando-a alinhada em busca dos objetivos da organização. Para que isso aconteça, o líder exerce uma profunda influência sobre os colaboradores.

Embora o poder de influência seja uma característica comum a todo líder, as atribuições de cada um deles varia conforme o cargo ocupado e o departamento de atuação. Fato é que, no mundo atual, as empresas precisam contar com diversos líderes, que atuam em diferentes cargos.

Continue a leitura e confira as principais diferenças entre os grandes líderes de uma empresa!

A liderança de um supervisor

De nada adianta todo o cuidado em desenvolver estratégias e processos eficazes, se não houver alguém bem capacitado para executá-los. Os supervisores são os líderes mais próximos daqueles colaboradores que dão vida às operações da empresa.

Basicamente, o supervisor é o líder incumbido de orientar os funcionários em busca dos melhores resultados — seja em relação à produção ou às metas comerciais.

Além de indicar o modo de execução dos processos relacionados à operação e de controlá-los (via relatórios, por exemplo), o supervisor também é responsável por avaliar o desempenho da equipe. Afinal, ele será o primeiro a ser cobrado pelos maus resultados.

Outra função importante do supervisor consiste em encontrar soluções para alguns imprevistos diários. A ausência de um determinado colaborador, por exemplo, não pode comprometer as metas da equipe.

Diante dos inevitáveis imprevistos que rondam as operações da empresa, cabe ao supervisor propor alternativas práticas, como a realocação temporária dos demais funcionários — o que evita os possíveis “gargalos” e a consequente perda de produtividade.

Obviamente, essas medidas só surtem o efeito desejado quando o supervisor é visto como um líder carismático. O carisma é essencial para que o líder aproxime-se de cada membro da equipe e, assim, passe a conhecer os pontos fortes e fracos de todos eles.

Por sinal, identificar as dificuldades individuais de todos os colaboradores da equipe é outra função primordial de um supervisor. Quanto mais rápido ele conseguir fazer isso, mais fácil será refletir sobre cada situação e antecipar-se aos problemas.

A liderança de um gerente

Todos aqueles processos, estratégias e planos de ação executados pelo supervisor são elaborados pelo gerente. Logo, trata-se do líder responsável por toda a organização do departamento que lhe foi entregue.

Antigamente, o gerente costumava ficar apenas no escritório, distante das operações da empresa. Mas já faz algum tempo que esse líder adquiriu o hábito de acompanhar os processos mais de perto.

Essa aproximação entre o gerente, o supervisor e os colaboradores tende a ser muito benéfica para a empresa. Com isso, o funcionário desmancha aquela ideia de que todos os seus superiores são seres intocáveis. Dentre outros benefícios, essa proximidade valoriza o trabalho de toda a equipe.

Não há mais espaço, no mundo empresarial, para os gerentes líderes que não têm a menor noção do trabalho que é executado pelos funcionários. Cabe ao gerente conhecer, ao menos minimamente, as funções executadas diariamente pela equipe.

Um gerente que desconhece completamente os processos é como um peixe fora d’água. Desse modo, ele não tem solidez argumentativa diante da aquisição de novos equipamentos e ferramentas de trabalho, por exemplo.

Como você pode perceber, um gerente com capacidade de liderar é muito mais do que um mero chefe-geral de departamento. Como qualquer outro líder, ele deve saber lidar com pessoas. Não basta dar “bom dia”. É preciso manter o canal de diálogo realmente aberto.

A liderança de um diretor

De acordo com a hierarquia clássica, acima do gerente está o diretor, líder responsável por monitorar a concorrência. Cabe ao diretor analisar as empresas concorrentes e comparar, constantemente, os dados delas com aqueles apresentados por sua empresa.

Além disso, esse líder também é responsável por manter-se atualizado a respeito das inovações tecnológicas e das mudanças comportamentais dos clientes. Um diretor bem informado deve ser capaz de antever futuras necessidades dos clientes.

Nesse último aspecto, vale destacar que também é função do diretor cuidar da satisfação dos clientes. A constante perda e busca de clientes afeta diretamente o crescimento da empresa. Para manter essa satisfação em um nível elevado, o diretor precisa conduzir os gerentes, apresentando-lhes a melhores estratégias.

Com base na análise de diferentes cenários, o diretor é responsável por guiar os gerentes em direção ao alcance dos objetivos da organização. Objetivos esses que dependem de investimentos regulares e do lançamento de novos produtos, por exemplo.

Essas e outras medidas são decididas justamente pelo diretor. Mas há casos em que a empresa tem um CEO — o próximo líder da nossa lista.

A liderança de um CEO

Enfim, abordaremos a liderança exercida pelo CEO (chief executive officer, em inglês), um cargo recém-popularizado no Brasil. Na prática, poucas pessoas realmente sabem quais são as atribuições de um CEO.

Embora detenha um poder deliberativo considerável, o CEO ainda precisa responder aos conselheiros administrativos da empresa. De qualquer modo, ele é uma espécie de diretor executivo.

As funções de um CEO variam de acordo com o nicho de atuação da empresa e com outras particularidades inerentes a ela. De um modo amplo, cabe a esse superlíder orientar todos os demais líderes da organização, como os diretores e até o próprio presidente.

Geralmente respeitado e admirado por todos os funcionários da empresa, o CEO atua como mediador entre a organização e os principais acionistas dela. Ele é o líder encarregado de projetar cenários tranquilizadores em relação ao mercado de ações, explicando quais serão as novas trajetórias da empresa.

Por fim, como ele tem uma capacidade de projeção privilegiada, o CEO também é uma peça-chave na elaboração da visão organizacional.

Os líderes são vitais para que qualquer empresa consiga superar os desafios do mundo corporativo e, assim, tornar-se bem-sucedida. Como você pode notar, a liderança em uma empresa adquire novas nuances, de acordo com os papéis vinculados a cada líder.

Depois de acompanhar todas essas informações relevantes, compartilhe-as com seus amigos nas redes sociais!

Sobre o autor

Grupo Fatos

Com mais de 20 anos de mercado e um atendimento de excelência, nos tornamos um Centro de Apoio ao Empreendedor, estruturado em unidades de negócios de diferentes áreas (Contabilidade, Consultoria, TI, Financeiro e RH), com soluções corporativas que permitem potencializar o futuro de nossos clientes.

Deixar comentário.

Share This