Recursos Humanos

7 dicas para reduzir o turnover em sua empresa

Escrito por Grupo Fatos

Além dos elevados gastos relacionados à rescisão contratual, o frequente turnover na empresa causa uma série de outros impactos, como a quebra da harmonia interna da organização.

Essa constante rotatividade de funcionários pode ser motivada por diferentes fatores. Aquela típica insatisfação do colaborador quanto ao cargo ou às funções desempenhadas por ele é um bom exemplo. Mas a saída também pode surgir devido a uma simples necessidade de se respirar novos ares — algo muito comum nas gerações mais recentes.

Seja ocasionada de forma voluntária (quando o próprio colaborador pede o desligamento) ou involuntária (quando a empresa opta pela demissão), o fato é que essa alta rotatividade dificilmente é um bom negócio.

Continue a leitura e descubra 7 dicas realmente efetivas para estabilizar o turnover na sua empresa!

1. Aperfeiçoe o processo seletivo

Esse aperfeiçoamento começa na definição do perfil do colaborador desejado para ocupar determinado cargo. Uma vez que esse perfil seja traçado com precisão, as chances de um desligamento precoce diminuem consideravelmente.

Um processo mais minucioso não deve levar em conta só a capacidade técnica do candidato. É necessário avaliar o modo como ele se comunica com outras pessoas. Afinal, um bom relacionamento interpessoal é pré-requisito para a continuidade de qualquer projeto de médio ou longo prazo.

Quanto mais filtros o processo seletivo tiver, maior será o grau de precisão proporcionado por ele em relação aos objetivos daquela contratação. Mas também vale manter alguma cautela, pois os excessos podem se revelar improdutivos, além de relativamente onerosos.

2. Promova treinamentos com regularidade

Nesse ponto, você deve considerar diversas possibilidades, como a realização de palestras, seminários e workshops. Quando bem idealizados, todos esses eventos agregam muito valor à organização e, principalmente, aos responsáveis por construí-la: os colaboradores.

É evidente que aqueles treinamentos mais técnicos, focados no aprimoramento de funções específicas, também devem ser lembrados. O importante é que as ações estejam alinhadas entre si e voltadas ao desenvolvimento — pessoal e profissional — de cada funcionário.

Alguns treinamentos devem ser direcionados conforme o setor dos colaboradores. Esse cuidado ajuda a valorizar as diferentes áreas da empresa e acentua o interesse dos funcionários.

Os treinamentos também podem ser usados como um meio de aprofundar a interação entre as áreas da empresa. Ao conhecer um pouco mais sobre outros setores, os colaboradores se sentirão mais motivados e integrados aos processos. Com isso, o desempenho e a satisfação pessoal só tendem a melhorar.

3. Mantenha uma rotina de feedbacks

O feedback é algo que jamais deve ser abandonado pela empresa. Não há nada mais angustiante para um colaborador do que a incerteza a respeito do próprio desempenho.

Se não estiver plenamente familiarizado acerca de suas virtudes e falhas, o funcionário continuará efetuando suas funções a esmo. Cabe ao gestor de cada departamento conceder um “norte” para seus colaboradores.

Vale lembrar que a ausência de feedbacks frequentes é uma das grandes causas de desmotivação do corpo de funcionários. Essa desmotivação, por sua vez, tende a ampliar a taxa de turnover.

Os feedbacks podem ser mais gerais, quando aplicados sobre um departamento, por exemplo. Mas há também os feedbacks individuais, que devem ser tratados isoladamente.

4. Flexibilize a operação quando for possível

Se houver a possibilidade de adotar o modelo home office, por exemplo, a empresa precisa considerá-la. Com ele, é perfeitamente possível equilibrar os horários de trabalho e as rotinas inerentes às funções desempenhadas.

Isso não significa que o funcionário trabalhará exclusivamente em casa. Você pode, se preferir, mesclar o home office com o trabalho presencial. Nesse caso, o colaborador trabalharia apenas alguns dias da semana na empresa.

Alternativas como o home office são extremamente úteis quando algum colaborador valioso anuncia que precisa mudar de cidade, por exemplo. Caso a cidade seja vizinha, ele poderá equilibrar sua vida profissional com a pessoal.

Caso contrário, ainda há a possibilidade de o home office ser realizado em período integral. Atualmente, já há mecanismos que permitem total controle sobre a execução das tarefas solicitadas ao colaborador.

5. Proporcione outros benefícios além do salário

Um salário atrativo é algo almejado por qualquer colaborador. Mas quase nunca o dinheiro, isoladamente, é um argumento válido para convencê-lo a permanecer na empresa.

Por isso, é necessário consultar o departamento de recursos humanos da empresa. Esse setor deve revisar toda a política de benefícios anualmente — no mínimo.

Dentre alguns benefícios interessantes, é possível citar descontos na compra de ingressos para grandes shows, apresentações de teatro e sessões de cinema.

Às vezes, nem é necessário oferecer descontos tão elevados. Apenas pelo fato de receber o desconto, o colaborador já se sente bem valorizado pela empresa.

Outro benefício interessante é uma escala de trabalho flexível. Em certas ocasiões, alguns dias extras (remunerados), por exemplo, como premiação pelo desempenho, são muito bem-vindos.   

6. Proporcione um ambiente de trabalho agradável

O ambiente de trabalho deve ser agradável o bastante para que o colaborador sinta vontade de retornar no dia seguinte. Esse fator é tão relevante quanto os outros.

Se o funcionário já acorda com aquela sensação de desânimo, dificilmente ele permanecerá na empresa por muito tempo. E mesmo que isso aconteça, obviamente o desempenho das tarefas ficará cada vez mais comprometido.

Dentro da empresa, permita que os colaboradores façam intervalos de 10 a 15 minutos. O tempo pode ser usado para tomar um café, conversar um pouco com os colegas ou simplesmente relaxar os braços e as pernas.

Essa sensação de liberdade dentro da empresa, sem aqueles olhares inquisitivos, engrandece o convívio entre todas as pessoas envolvidas na organização. Com isso, todo mundo só tende a ganhar.

7. Ofereça um bom plano de carreira

Os colaboradores das gerações atuais não costumam permanecer muitos anos na mesma empresa. Mesmo assim, é fundamental que a organização tenha um plano de carreira que contemple as ambições pessoais e profissionais de cada funcionário.

Um plano de carreira com a possibilidade de trabalhar durante algum período no exterior, por exemplo, costuma ser muito convincente.

Como você pode observar, todas essas dicas ajudam  e muito — a diminuir a taxa de turnover na empresa. Isso acontece porque cada uma delas influencia positivamente a motivação dos funcionários, algo essencial na vida de qualquer colaborador.

Então, você está pronto para reduzir o turnover da sua empresa? Curta nossa página no Facebook e fique atualizado sobre outras dicas relacionadas ao mundo empresarial!

Sobre o autor

Grupo Fatos

Com mais de 20 anos de mercado e um atendimento de excelência, nos tornamos um Centro de Apoio ao Empreendedor, estruturado em unidades de negócios de diferentes áreas (Contabilidade, Consultoria, TI, Financeiro e RH), com soluções corporativas que permitem potencializar o futuro de nossos clientes.

Deixar comentário.

Share This