Crescimento

Sucessão empresarial: como passar o bastão de forma eficaz?

Escrito por Grupo Fatos

Quando o empreendedor consegue tirar um negócio do papel e, mais do que isso, torná-lo bem-sucedido, ele tem a chance de deixar um legado. Isso acontece por meio da chamada sucessão empresarial.

O processo é comum e envolve tanto as pequenas empresas quanto as gigantes de variados setores. Todos nós sabemos que a Apple nunca mais será a mesma sem Steve Jobs. Contudo, essa empresa revolucionária continua exibindo um brilho poderoso após a sucessão empresarial.

Para que a empresa se perpetue, é fundamental que o empreendedor compreenda a importância de se fazer uma sucessão bem planejada. Se você ainda nem pensou no assunto, continue a leitura e aprenda como deixar o legado da sua empresa para as próximas gerações!

Tipos de sucessão empresarial

Antes de analisar alguns detalhes da sucessão empresarial, você deve saber que existe mais de um tipo:

  • sucessão familiar;
  • sucessão trabalhista;
  • sucessão com base na aquisição de um ponto comercial.

Sucessão familiar

Como a própria expressão indica, essa sucessão é caracterizada pela substituição de entes familiares no comando da empresa. Os novos gestores costumam ser os filhos, mas também podem apresentar outro grau de parentesco.

Talvez essa seja a sucessão mais frequente no mundo corporativo, mas isso não quer dizer que ela sempre seja bem-sucedida. No decorrer da história, muitas empresas renomadas faliram ao serem assumidas por filhos despreparados para administrarem o negócio.

Portanto, os critérios primordiais para a sucessão jamais devem ser pautados no sobrenome da família, e sim na plena capacidade de gerir o negócio.

Sucessão trabalhista

Nesse caso, a sucessão é determinada por alguma modificação na estrutura jurídica da empresa. É importante salientar que os sucessores permanecem usufruindo dos mesmos serviços prestados pelos atuais colaboradores. E, em contrapartida, os contratos de trabalho anteriores não são afetados.

Sucessão movida pela aquisição de comércio

Basicamente, essa sucessão é definida pela compra de um ponto comercial e ela é ditada por algumas regras. A principal delas é a cláusula de não restabelecimento.

Segundo ela, o vendedor do negócio fica impedido de estabelecer concorrência comercial ao longo de um intervalo de 5 anos. Contudo, essa restrição só se aplica a um negócio que esteja no mesmo nicho de mercado do anterior (vendido).

Cuidados prévios da sucessão empresarial

Ao contrário do que possa parecer, a sucessão empresarial se inicia bem antes da efetiva substituição dos diretores ou gestores da organização. Logo, deve haver, de fato, uma preparação bem detalhada e direcionada ao momento dessa troca.

Desse modo, a atual direção da empresa deve preparar o terreno para a próxima. É necessário fazer um exercício de previsão, a fim de cogitar quais serão os desafios a serem encarados nos próximos períodos.

Simultaneamente, os líderes do momento precisam definir o que, de fato, deve ser deixado como legado. A missão, visão e os valores organizacionais precisam ser transmitidos, pois são os pilares básicos a serem preservados.

Isso não significa que esses componentes elementares não possam sofrer algumas leves modificações. Mas qualquer alteração deve ser muito bem calculada e com base em um propósito futuro bem definido. Quando as mudanças visam algo melhor, elas sempre são bem-vindas.

Todo esse cuidado se faz necessário por muitas razões. Qualquer mudança brusca e precipitada na direção de uma empresa pode causar consequências quase irremediáveis. Em organizações que atuam como sociedades anônimas, por exemplo, uma notícia repentina envolvendo a troca do comando pode derrubar o valor das ações na Bolsa.

Internamente, a troca súbita de líderes pode gerar um tremendo mal-estar nas equipes. Afinal, os colaboradores ficam motivados conforme se acostumam a olhar para um líder carismático e que lhes é familiar. A chegada de um estranho tende a romper esse equilíbrio e a abalar as relações.

Escolha, avaliação e treinamento dos sucessores

Uma vez verificada a necessidade de se preparar com antecedência para a sucessão na empresa, a cautela passa a residir na capacidade dos sucessores.

Nesse momento, o que ocorre é parecido com a análise de pessoas para a ocupação de determinados cargos estratégicos da organização. Mas como se trata de uma sucessão, o processo é mais complexo e, portanto, deve ser ainda mais minucioso.

Nem sempre aquele familiar inteligente e bem-intencionado é a melhor pessoa para assumir o leme da empresa. Antes de mais nada, é preciso traçar alguns pré-requisitos para que a condução da empresa se mantenha no mesmo nível ou o supere.

Caso nenhum candidato preencha esses pré-requisitos naquele momento, o melhor a se fazer é esperar por alguém que o faça. É por isso que a sucessão empresarial é um processo que deve ser concretizado com calma e sem pressa. Se o dono do negócio souber se organizar, ele não ficará desesperado em busca de um ou mais sucessores.

Além disso, por mais preparado que o sucessor seja, também será necessário treiná-lo. Ele pode até dominar as características do setor em questão, mas é bem possível que esteja pisando no solo daquela empresa pela primeira vez.

Então, nada mais natural do que receber algum treinamento mais direcionado e bem objetivo. Por fim, ainda é válido realizar um período de acompanhamento da nova gestão.

Esse monitoramento é benéfico tanto para quem está deixando a empresa quanto para quem assumiu o negócio. É nesse momento que as principais dúvidas surgem e podem ser prontamente sanadas.

Sucessão em andamento

Após selecionar um ou mais sucessores do negócio e treiná-los, o atual gestor precisa aprender a se desapegar da própria empresa. Certamente, essa não será uma tarefa fácil.

Para facilitar o processo, convém passar a delegar algumas das principais funções exercidas enquanto principal administrador. Obviamente, deve-se respeitar o ritmo de ambas as partes envolvidas para evitar tropeços.

Se realizada com calma, atenção, seriedade e um bom planejamento, a sucessão empresarial será bem-sucedida. Tudo o que você precisa fazer é seguir essas orientações e dicas antes e durante a troca do comando na sua empresa!

Você acaba de conhecer os caminhos que o levarão a uma sucessão empresarial eficaz. Assine nossa newsletter e se mantenha informado sobre tudo o que move o mundo empresarial!

Sobre o autor

Grupo Fatos

Com mais de 20 anos de mercado e um atendimento de excelência, nos tornamos um Centro de Apoio ao Empreendedor, estruturado em unidades de negócios de diferentes áreas (Contabilidade, Consultoria, TI, Financeiro e RH), com soluções corporativas que permitem potencializar o futuro de nossos clientes.

Deixar comentário.

Share This