Crescimento

Os 6 principais erros para quem quer ser um empreendedor

Escrito por Grupo Fatos

Ser um empreendedor sempre foi um sonho para muitas pessoas. Afinal, isso garante um grande leque de possibilidades, além da independência para tomar decisões em nome da empresa e a liberdade de trabalhar com o que se gosta.

Nesse sentido, trata-se de um sonho que é alimentado, muitas vezes, apenas por paixão, dedicação e força de vontade. Justamente por isso, pode acabar gerando uma série de problemas se não houver planejamento e muito estudo envolvido.

Empreendedores de primeira viagem, geralmente, se deixam levar pela emoção, cometendo erros básicos que comprometem o andamento do negócio a longo prazo. E são esses pequenos deslizes que se acumulam, contribuindo para o cenário em que a maioria das empresas não consegue sobreviver aos primeiros anos no mercado.

Por outro lado, as pequenas empresas que conseguem reduzir tais erros a um mínimo se comportam como grandes, disputando o mercado de igual para igual com seus concorrentes. Pensando nisso, neste post veremos quais erros você deve evitar para que seu negócio se torne cada vez mais profissional! Confira:

1. Subestimar o poder do plano de negócios

É comum pensarmos que o empreendedor de sucesso começa a vender seus produtos de uma hora pra outra, logo conseguindo todos os resultados que deseja. Porém, entre a concepção da ideia do negócio e a sua execução existe um espaço enorme, que deve ser preenchido com muito estudo e planejamento.

Para isso, o plano de negócios deve conter todas as projeções importantes que podem influenciar no seu empreendimento — considerando tanto os cenários bons quanto os ruins. Afinal, empreender envolve sempre assumir riscos e, se o empreendedor não estiver preparado para encará-los, dificilmente prosperará.

CTA - Guia do Canvas - como esse modelo de estratégia pode ajudar o seu negócio_02

A criatividade e visão são essenciais nesse ponto. É preciso ver as possibilidades que se tem a frente, para antecipar as melhores estratégias que a sua empresa deve adotar ao lidar com diferentes situações. Assim, quando o plano de negócios é bem executado, não existem grandes surpresas.

2. Confundir o dinheiro da empresa com o do empresário

Nunca misture as contas correntes! Esse é um princípio básico, mas ignorado, muitas vezes, o que pode fazer com que o empresário se afunde em dívidas — e sem sequer se dar conta delas.

Quando existe uma só receita alimentando crédito de pessoa física e jurídica, a confusão pode resultar numa dívida muito maior do que a empresa pode pagar. Agora, se o lucro da empresa sustenta diretamente o dono, é claro que existe uma relação a se considerar entre as contas de pessoa física e jurídica.

Nesse caso, o que pode acontecer é um modelo de retirada do pró-labore: o pagamento que a empresa faz ao sócio, ou dono, pelos serviços que ele prestou para a empresa. A retirada pode ser feita sob forma de um valor fixo ou como uma porcentagem dos lucros da empresa, desde que esteja dentro do planejamento de custos do empreendimento.

3. Perder o espírito de inovação

Inovação é a principal arma do empreendedor de sucesso, mas isso não significa que ser um empreendedor implica em ter sempre uma ideia revolucionária; apenas que o bom negócio é aquele que sabe se moldar segundo as necessidades do seu cliente.

Quando um produto ou serviço comum é colocado no mercado por uma empresa nova no ramo, é preciso saber diferenciar a proposta, seja no atendimento, no custo, no marketing ou em outro meio qualquer de inovação.

Nesse sentido, antes de tudo, é preciso que o empreendedor saiba ouvir o seu público, o que não é tão fácil.

Saber ouvir significa coletar sempre informações sobre seu mercado, entender os feedbacks que o público dá, saber analisar os indicadores de mercado — e, principalmente, saber interpretar todas essas informações. Afinal, se a informação é usada com criatividade, as soluções inovadoras aparecem, e o mercado responde de maneira positiva.

4. Empreender pelos motivos errados

Ter um negócio próprio também requer uma motivação diferente daquela que leva as pessoas a ter um emprego qualquer.

Trata-se de uma responsabilidade que pode ser levada para a vida toda, pois o vínculo criado entre a empresa e o dono é muito mais sólido do que o vínculo do empregado com o empregador. Logo, empreender apenas pelo dinheiro não faz o menor sentido, já que o dinheiro nem sempre será o resultado principal do negócio.

5. Demorar muito para lançar um produto ou serviço

Já é senso comum a ideia de que o mundo globalizado muda a todo momento, bem mais dinâmico e comunicativo do que era há alguns anos. Só que o mercado também muda constantemente, e tudo se torna obsoleto muito mais rápido.

O tempo é algo tão importante para o mercado quanto a mercadoria em si, de modo que algo que é valioso hoje pode não o ser mais daqui a 6 meses. Logo, saber oferecer soluções para o mercado significa ainda saber ter o timing do mercado.

Muitas startups, inclusive, têm receio de lançar seus produtos cedo demais, focando no desenvolvimento do produto antes de tudo. Quanto a isso, o teste com MVP é uma ferramenta muito útil para saber o que o mercado precisa naquele momento.

Enfim, focar no core business e lançar o MVP mais rápido do que os concorrentes pode ser a chave para conquistar o mercado primeiro, fortalecendo a sua marca a longo prazo.

6. Não conhecer bem seus clientes

Muitos empreendedores começam um negócio em um ramo de que gostam, e se limitam a oferecer produtos ou serviços que agradam a si próprios. Mas manter a qualidade do produto é um esforço que vai muito além da simples satisfação de quem o faz — exige, principalmente, conhecer os desejos de quem compra.

Divulgar o seu produto sem saber quem é o seu público-alvo é como dar um tiro no escuro; afinal, nenhuma forma de divulgação é abrangente o suficiente para incluir todos os tipos de consumidores. É preciso, portanto, saber como chegar ao seu cliente de maneira precisa, o que significa saber tudo sobre ele.

Existem muitos meios para se chegar ao perfil da sua clientela. O mais usado hoje é a interação via internet, pois o fluxo de informações em forma de dados objetivos é muito maior do que a relação pessoal.

E, além disso, alguns meios, como pesquisas de opinião e testes de mercado, também ajudam a determinar um perfil de comportamento do seu cliente, o que pode ser crucial no desenvolvimento de novos serviços ou produtos.

Enfim, gostou do nosso post? Agora que já conhece os principais erros que deve evitar para ser um empreendedor de sucesso, que tal compartilhá-lo com os seus amigos nas redes sociais?

Sobre o autor

Grupo Fatos

Com mais de 25 anos de mercado e um atendimento de excelência, nos tornamos um Centro de Apoio ao Empreendedor, estruturado em unidades de negócios de diferentes áreas (Contabilidade, Consultoria, TI, Financeiro e RH), com soluções corporativas que permitem potencializar o futuro de nossos clientes.

2 comentários

Deixar comentário.

Share This