Tecnologia

Cuidado para não cair no Golpe da Restituição do Imposto de Renda

Escrito por Grupo Fatos

O início de mais um ano chegou e com ele parte dos cidadãos brasileiros já se depararam com a ansiedade e expectativa em relação à declaração do Imposto de Renda que acontece anualmente no início do ano, em relação ao ano anterior.

No dia 7 de março de 2022, a Receita Federal disponibilizou online o programa para a declaração do Imposto de Renda que deverá ser enviado até o dia 29 de Abril. 

Dentre a população, é obrigatório a declaração do Imposto de Renda aqueles que, entre outras situações, ganharam mais de R$28.559,70 no ano de 2021. 

Com a ansiedade, o estresse da declaração do Imposto de Renda e o tal “medo do Leão”, brasileiros ainda se deparam com mazelas de pessoas mal intencionadas que aproveitam deste período tão temido para abusar e lesar os outros através de golpes online. 

Um golpe específico ganhou tanto destaque que foi cenário de alerta pela própria receita federal: o golpe sobre a Restituição de Imposto
No blog de hoje, saberemos um pouco mais sobre golpes online e, em específico, como evitar cair no golpe da Restituição do Imposto de Renda no momento da declaração do IR.

Cuidado com o Golpe da Restituição do Imposto de Renda


Recentemente a Receita Federal emitiu um alerta em seu site chamando atenção para o golpe da Restituição do Imposto de Renda, uma trama arquitetada por um grupo de pessoas não identificadas que é enviado por e-mail e envolve a promessa de que o Imposto será devolvido. 

É enviado uma mensagem pedindo para que o receptor faça o download de uma chave de acesso onde poderá consultar os valores aos quais tem direito, mas na realidade o arquivo se trata de um vírus malicioso – um malware, que invadirá seu dispositivo. 

O golpe utiliza as informações sobre o Imposto de Renda a fim de atrair vítimas em um método conhecido como “phishing” – uma técnica de engenharia que é utilizada para enganar usuários com intenção de obter informações confidenciais, tais quais identidade ou dados do cartão de crédito, etc.

É importante também tomar cuidado, pois às vezes a informação pode parecer real, isso acontece porque os golpistas fazem questão de utilizar palavras e termos técnicos como “Saque Imediato” e PER/DCOMP, e buscam utilizar conteúdos que citam leis e alíquotas que existem, fazendo com que a situação pareça bastante verídica. 

Em uma tentativa de ajudar a população, a Receita Federal fez em seu site um adendo, alertando que não faz envio de links por e-mail, ressalvando apenas contatos que são iniciados apenas pelos cidadãos através do “Fale Conosco” no site ou através do próprio atendimento por e-mail.

Como não cair em golpes da internet?


O Golpe da Restituição do Imposto de Renda é apenas mais um dentre os milhares de golpes que podemos ver pela internet atualmente.

Há diversos tipos de versões e todos buscam a mesma coisa: uma maneira maliciosa de lesar o outro conseguindo informações pessoais para roubar de contas bancárias, utilizar os dados de maneira errônea, ou seja como for, é sempre complicado identificar a veracidade de uma sms, ou mensagem por e-mail sem desconfiar do remetente. 

Mesmo para os internautas mais calejados, algumas vezes as noções mais básicas de como se proteger em situações fraudulentas podem falhar. Isso porque os golpistas têm se mostrado cada vez mais inteligentes, especialmente com a grande evolução da tecnologia que pode auxiliá-los facilitando com que o Golpe seja realizado. 

Para que você possa se proteger, tanto neste momento de extrema atenção diante da declaração do Imposto de Renda, quanto em casos futuros, o Grupo Fatos reservou 4 dicas de como se prevenir contra Golpes na Internet.

  1. Não forneça senhas

Parece uma dica bem óbvia, mas muitas vezes podemos confiar em alguns sites ou até mesmo na própria Receita Federal nos enviando e-mails e é aí que somos pegos. Duvide quando solicitarem suas senhas, especialmente porque ela é de uso privado e particular seu. 

Dificilmente uma instituição vai ligar e muito menos enviar uma mensagem eletrônica para solicitar senha ou código de segurança. Isso porque são informações intransferíveis que não dizem respeito a terceiros, por isso pode desconfiar de pedidos assim sem culpa. 

  1. Não clique em links desconhecidos

Essa dica serve até para mensagens recebidas de pessoas conhecidas em aplicativos como Whatsapp, ou qualquer outro de conversas instantâneas. 

O motivo é que atualmente tem acontecido muitos casos onde pessoas relatam que tiveram os números clonados, e golpistas fizeram pedidos de PIX para familiares e amigos fingindo ser o dono das contas em questão. 

Para que isso não ocorra, é importante não clicar em links desconhecidos tanto por e-mail, quanto por mensagens instantâneas. Isso porque se não reconhecemos o domínio (website para onde estamos sendo enviados através do link), existe a possibilidade de estarmos recebendo um endereço de vírus e novamente, a técnica phishing entra em ação.

  1. Verificação em duas etapas

Essa dica serve para aplicativos no celular, apps de banco, em especial redes sociais como Instagram, Facebook, LinkedIN, etc. Isso porque são ambientes que carregam muitas informações pessoais, tanto em publicações, quanto em perfis, possibilitando que criminosos possam conhecer mais sobre você e as pessoas com quem você interage. 

Assim fica muito mais fácil que dados sobre você sejam recolhidos, por isso aplicativos têm oferecido a possibilidade de verificação em duas etapas. Isso também é útil no Whatsapp, onde você define uma senha e tem mais um respaldo para impedir que sua rede seja clonada.

  1. Confira as notificações de gasto

Quando gastamos no cartão de crédito ou de débito, é possível habilitarmos um mecanismo que nos envia uma notificação via SMS informando sobre cada compra. Para contas digitais, é possível receber uma notificação no celular, tornando o processo mais otimizado. 

Essa dica é importante para que você saiba caso tenha havido alguma tentativa de clonagem ou movimentação estranha em sua conta. Também serve para saber se foi vítima de algum golpe, permitindo que entre em contato mais rápido com o banco e solucione o problema antes que se torne maior.

Estas foram algumas dicas que podem ajudá-lo não só a evitar o transtorno em casos como o Golpe da Restituição do Imposto de Renda, mas também, podem mantê-lo mais seguro em tempos de digitalização que também é utilizada de maneira maliciosa.

Sobre o autor

Grupo Fatos

Com mais de 25 anos de mercado e um atendimento de excelência, nos tornamos um Centro de Apoio ao Empreendedor, estruturado em unidades de negócios de diferentes áreas (Contabilidade, Consultoria, TI, Financeiro e RH), com soluções corporativas que permitem potencializar o futuro de nossos clientes.

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This